Revirando emoções

04/05/2018
Geovana participou do Máscara, no último final de semana, e se emocionou com a experiência.

“O Máscara para mim é um sentimento e não só um projeto. Para o resto da vida vou guardar essa experiência, ela vai me acompanhar sempre porque é raro reunir o que mais amamos: a família e os amigos.” Poucos dias depois de participar do Máscara, um projeto desenvolvido pela Pastoral para os alunos do 3º ano do Ensino Médio, Geovana Pinto Campos ainda fala daqueles momentos como se estivessem na própria pele.

Os ensinamentos mais preciosos, diz ela, estão em valorizar as coisas simples da vida. Se viu, ali, rodeada pelos amigos que fez ao longo de todo uma vida escolar e seus pais, sua família. “Ainda estou sem fôlego, quase morri quando vi meu pai que mora em outro estado e chegou de surpresa depois de quase um ano sem nos vermos”.

Geovana se emociona ao pensar no gesto do pai, que administra uma transportadora, e desviou a rota chegando de caminhão à cidade para pactuar desse momento tão importante para ela. “Isso eu nunca vou esquecer, como também não esquecerei da presença dos meus professores, do coordenador Armênio, que vieram porque se importam com outras dimensões da vida da gente, como nos sentimos, com o nosso bem-estar nesse momento que é também de despedida da Escola. Fomos muito acolhidos”.

A aluna do 3º ano destaca que as turmas estão mais unidas, se cumprimentando nos corredores, mais atentas e sensíveis ao outro, nesse ano tão particular em que cada um, ao seu modo, ao mesmo tempo em que se despede, traça novos rumos, uma vida profissional que virá pela frente. “Talvez o mais importante foi percebermos nossa própria maturidade, o quanto caminhamos até chegar aqui. Essa Escola é um lar porque nos acolhe, reúne quem mais amamos, me ajudou a ser quem eu sou”.